Confira a explicação do médico infectologista Dr. Bruno Scarpellini para cada doença e veja como o atendimento médico online pode ajudar

Em tempos de pandemia do COVID-19, a população está em um constante alerta. Basta uma pequena alteração na saúde, que nós já ficamos preocupados e nos indagamos: será que é Corona? Então, para te ajudar a compreender quais são os sintomas das diferentes doenças – Coronavírus, Influenza, Dengue e Rinite, conversamos com o médico infectologista Dr. Bruno Scarpellini.

De acordo com o especialista, de 15 casos que atende por telemedicina, apenas um não se trata de dúvidas sobre o COVID-19 ou síndromes gripais. Mas, como ainda não é possível realizar o teste de Coronavírus nas pessoas com sintomas leves, é mesmo muito importante procurar ajuda médica para esclarecer as queixas e buscar um tratamento adequado, de forma a evitar sair de casa.

Dr. Bruno Scarpellini ainda ressalta um lembrete: os assintomáticos também transmitem a doença. Dados atualizados revelam que cada pessoa contaminada passa o vírus, em média, para 5 ou 6 pessoas.

“Há um relato em Boston em que se levantou que 86 casos da região se relacionavam à uma única pessoa que estava infectada e participou de uma reunião empresarial. E como isso acontece? Uma pessoa transmite para cerca de 5, que passam para outras 5, e assim vai acontecendo o contágio de mais e mais pessoas, em grande escala. A transmissão é realmente rápida e, como no caso que contei, pode ser imperceptível, por acometer pessoas que não apresentam nenhum sintoma. Portanto, minha mensagem é: tenha cuidado e, nesse momento, fique em casa”, ressalta o infectologista.

Sintomas de Coronavírus

Por ter os sintomas parecidos com as demais doenças, muitas vezes as pessoas se confundem e não tomam os cuidados necessários, especialmente aqueles que não apresentam queixa alguma. Os sintomas variam de leves a severos.

  • Febre baixa
  • Tosse seca
  • Fadiga
  • Dor muscular
  • Dor de cabeça
  • Perda de olfato e de paladar
  • Falta de ar aguda

 Novas queixas:

  • Erupções cutâneas (lembram “queimadura de sol”)
  • Diarreia, dor abdominal e/ou vômito
  • Conjuntivite

Sintomas da Dengue

Transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti (transmissor também da zika e chikungunha), é conhecida em inglês como break bone fever, ou febre quebra ossos, sendo marcada por esse mal-estar bastante característico. Os sintomas têm um início repentino e é preciso redobrar o cuidado atualmente, já que é possível ter dengue e Coronavírus ao mesmo tempo.

  • Febre alta
  • Dor intensa no corpo
  • Manchas vermelhas na pele
  • Vermelhidão nos olhos

Sintomas de Influenza

Marcada pelo início repentino dos sintomas, é possível e indicado se vacinar contra o H1N1. Como o COVID-19, a doença é transmitida pelo contato com o vírus.

  • Febre
  • Tosse
  • Dor de garganta
  • Dor muscular intensa
  • Dor de cabeça
  • Nariz entupido
  • Fadiga
  • Vômito e/ou diarreia

Sintomas de Rinite alérgica

Os sintomas já são habituais para a pessoa, que tem um quadro alérgico crônico.

  • Nariz Escorrendo
  • Nariz vermelho
  • Espirros
  • Garganta coçando
  • Quadro alérgico nos olhos

Em caso de suspeita de Coronavírus, o que fazer?

Em primeiro lugar, buscar ajuda médica é sempre fundamental. Neste momento em que o distanciamento social é indicado – também chamado popularmente de quarentena, entre em contato com um médico online para realizar uma consulta à distância, do seu celular ou computador, sem precisar sair de casa e, assim, entender o que podem significar os seus sintomas com agilidade e segurança.

Atenção, está com alguma queixa que lembra algum sintoma do Coronavírus? Faça agora nossa análise de sintomas online. É grátis!

“Em casa, a pessoa sob suspeita deve ficar, por 14 dias, em um quarto só para ela, bem arejado e, preferencialmente, com um banheiro de uso exclusivo. Ela deve permanecer de máscara, trocando-a quando estiver úmida (a cada 4h ou 6h), com um saco duplo de lixo no banheiro – um saco dentro do outro. Recomendamos talheres, copos e pratos dedicados, assim como roupa de cama e banho.  Se possível, estimulamos que a comida seja deixada do lado de fora, na porta, que ela evite sair do quarto e, se sair, que não toque nas paredes, objetos, saia de máscara e mantenha o distanciamento de 2 metros de outras pessoas”, explica Dr. Bruno Scarpellini.

Ele ressalta ainda as medidas de prevenção que tanto tem sido divulgadas, como isolamento social, tomar todos os cuidados higiênicos – lavar as mãos, usar álcool em gel e fazer a limpeza do celular, de compras, de roupas e sapatos, além do uso contínuo de máscaras, sempre que a pessoa sair de casa.

“Indico que o paciente vá ao hospital apenas se houver síndrome respiratória aguda grave. Tenho sugerido aos meus pacientes que precisam de um acompanhamento mais atento, como os que fazem parte dos grupos de risco, a compra do oxímetro e os ensino a contar as frequências respiratórias e cardíacas. Explico por vídeo, peço para me mandarem a contagem deles gravadas, de forma a estimular que os pacientes aprendam a ter autocuidado”, analisa o infectologista.

Como a telemedicina pode ajudar?

Como mencionamos anteriormente, o atendimento médico online tem sido uma ferramenta importante no suporte à saúde, sendo uma forma de se prevenir o aumento do contágio das pessoas, já que elas recebem o acolhimento em suas próprias casas, pela internet. Esta modalidade foi, recentemente, liberada pelo governo brasileiro e órgãos regulamentadores para apoio nesta crise. O especialista reitera a importância da telemedicina nesse momento de pandemia.

“Recomendamos a teleconsulta, que funciona para rastreamento do que é leve e do que é grave, assim como para manutenção de acompanhamento de pessoas com doenças crônicas. Até mesmo para situações que precisam de mais alerta, rapidamente você consegue fazer um diagnóstico e encaminhar o paciente para o atendimento presencial de emergência. A telemedicina não ajuda apenas em situações de Coronavírus, mas no apoio médico para grande parte das outras doenças, de maneira geral”, conclui o médico.

Está se sentindo mal, com alguma queixa de saúde? Nossos médicos estão à disposição, a qualquer momento, para conversar com você e fazer uma consulta online. Seja por plantão ou agendamento com especialistas, queremos cuidar de você. Conte com nossa equipe. Acesse nosso site, se cadastre e fale com um médico.

Brasil Telemedicina

Autor Brasil Telemedicina

Mais artigos por Brasil Telemedicina

Deixe uma resposta












 
close-link