Nos unimos à campanha Agosto Dourado para incentivar as mulheres a se entregarem a esse ato singelo e importante para a saúde de seu bebê.

Ao vermos uma mãe amamentando seu filho com um belo sorriso no rosto, esbanjando beleza e tranquilidade em sua bela poltrona, nos dá a impressão que o aleitamento materno é algo simples e totalmente natural. Entretanto, nem sempre é assim. É por conta principalmente das dificuldades geradas por esse momento e pela necessidade de se incentivar este ato de amor e nutrição que a campanha mundial Agosto Dourado surge para reforçar os benefícios da amamentação para mãe e bebê, sendo essa uma escolha que tem reflexos positivos até a vida adulta, ao reduzir o risco de se desenvolver diversas doenças.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde no Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), realizado entre fevereiro de 2019 a março de 2020, menos da metade das crianças brasileiras menores de seis meses (45,7%) foram amamentadas exclusivamente com leite materno.

Apesar de ainda ser um índice baixo, o número apresenta um aumento ao ser comparado com os últimos dados, de 2006, em que esse percentual era somente de 37%. A pesquisa atual levantou também que, entre os bebês com menos de 4 meses, o índice de aleitamento materno exclusivo é de 60%, enquanto que de crianças de 12 a 15 meses é de cerca de 53% e as até 2 anos de quase 61%.

Sendo assim, toda a nossa equipe médica, não apenas no mês de Agosto, mas ao longo do ano, te incentiva a não desistir da amamentação tão facilmente e a buscar as informações necessárias para obter apoio durante essa jornada. Se você é mãe, conte conosco. Se você é pai ou conhece alguém que está vivendo ou prestes a viver este momento, compartilhe essa informação.

De acordo com a Dra. Luciane Camargo, médica ginecologista e endocrinologista do Médico24hs, a OMS- Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam o aleitamento materno desde a primeira hora de vida até os 2 anos, sendo a única fonte de alimentação para o bebê até os 6 meses.

“É com a amamentação que a mãe começa o processo de passar o melhor de si para o lactente, do carinho à nutrição, em um ato de total doação. O leite materno é o alimento essencial dos filhotes de todas as espécies de mamíferos, sendo extremamente completo, sem necessidade de complementação, composto por proteínas, minerais, gorduras e imunoglobinas de suma importância para o sistema imunológico desta nova vida.

Além disso, o contato pele a pele entre mãe e bebê fortalece o vínculo entre eles, trazendo tranquilidade para os dois nesta nova relação que acaba de surgir e criando crianças mais seguras e preparadas para enfrentar o futuro, tanto psicologicamente como nutricionalmente”, salienta a médica.

Confira os 5 benefícios da amamentação para a mãe

Ei, mamãe. Antes de falarmos das vantagens que o aleitamento materno traz para o bebê, queremos salientar o quanto ele também é benéfico para você. Se alguém está deixando de te incentivar ou você pensa em desistir, esperamos que as informações abaixo cheguem até você em um bom momento. Nosso intuito não é te pressionar, mas sim, te ajudar. ;)

1. Fortalece o vínculo com seu bebê

A troca de olhares e de carinho, poder conversar bem pertinho do seu filho, ter a possibilidade de alimentá-lo e de confiar no seu corpo de forma intuitiva é enriquecedor para você e seu bebê durante todo o desenvolvimento da criança. Procure estar presente e curtir esse momento, que não vai durar para sempre, mas que você guardará com muito carinho no seu coração.

2. Libera ocitocina

A ocitocina é o hormônio responsável pela contração do útero. Assim, quando você amamenta o seu bebê, esse hormônio passa a ser liberado com mais rapidez, o que auxilia na redução do tamanho do útero, diminui o sangramento pós-parto e, desse modo, reduz as chances de você ficar anêmica. Outro ponto importante é que a ocitocina estimula a liberação do leite, e portanto, quanto mais o bebê mamar, mais leite a mãe terá.

3. Previne câncer de mama e ovário

Já é cientificamente comprovado que amamentar exclusivamente seu filho de forma exclusiva durante os primeiros 6 meses previne dois tipos de cânceres muito comuns às mulheres: o de mama e o de ovário. Então, ao investir na saúde do seu bebê, você também está cuidando de você para ele. ;)

4. A amamentação auxilia no emagrecimento e reduz os riscos de diabetes

Alô, mamães. Como amamentar dá fome, não? Pois é, é um grande gasto de energia para o nosso organismo. Por isso, também ajuda a emagrecer. Você sabia que com a amamentação você pode chegar a gastar cerca de 800 calorias por dia? Além disso, sua saúde segue melhorando, já que toda essa atividade no seu organismo reduz o risco de diabetes e controla o açúcar do seu sangue.

5. Reduz as chances de ter depressão pós-parto

Devido aos hormônios liberados enquanto o leite é produzido, especialmente a ocitocina, a mãe passa a sentir com mais evidência a sensação de realização pessoal e bem-estar (mesmo em meio ao cansaço, acredite!). Desse modo, o risco de depressão pós-parto ou baby blues é automaticamente reduzido também, já que a amamentação produz em seu corpo essa sensação de felicidade.

E quais são os 5 benefícios para o meu bebê?

Chegou a hora de enumerar as vantagens geradas pelo aleitamento materno para o seu filho. Creio que, agora, vamos te incentivar de vez. Vamos lá? :D

1. Fornece todos os nutrientes que seu bebê precisa

O leite materno é naturalmente completo, sendo produzido pelo seu corpo de forma equilibrada, com os teores adequados de proteínas, carboidratos, gorduras e água. Tudo isso favorece o crescimento e o desenvolvimento do bebê. Uma dica: sugerimos que ele mame todo o leite de um peito antes de passar para o outro, pois assim ele recebe todos os nutrientes da mamada completa, afinal, os nutrientes são liberados pouco a pouco. Cabe ressaltar também que o leite materno está sempre pronto para consumo, na temperatura ideal e livre de contaminações. Pois é, nosso organismo é mesmo perfeito!

2. Facilita a digestão

Por ser especialmente produzido de você para o seu bebê, o leite materno é digerido com facilidade pelo intestino dele. E o que isso significa? Que nesse processo, também é favorecida a correta absorção dos nutrientes, o aumento da frequência de mamadas e a produção de leite, trazendo mais calorias e alimento para o bebê e fortalecendo seu corpinho. Enquanto isso, as fórmulas infantis em pó são reconhecidas por uma digestão mais lenta, já que se tratam de leite artificial, não natural, e podem gerar mais cólicas.

3. Previne anemias e obesidade

Já dissemos o quanto o leite materno é completo, sabemos. ;) Mas veja só, não para por ali: ele contém um tipo de ferro exclusivo que é facilmente absorvido pelo intestino do bebê. Outro ponto importante: o leite materno é rico em ácido fólico e vitamina B12, componentes importantes para atuar na produção dos glóbulos vermelhos, células que transportam oxigênio pelo sangue. E mais: devido ao seu efeito antinflamatório, crianças que mamaram têm menos chances de serem obesas, terem diabetes ou problemas cardíacos por toda a vida.

4. Fortalece o sistema imunológico

O leite materno é uma forma natural de defesa para o seu bebê, já que é rico em anticorpos produzidos por você, mamãe. Isso protege seu filho de problemas como asma, pneumonia, gripes, problemas intestinais e dores de ouvido. Caso ele fique doente, a recuperação é facilitada, uma vez que o organismo da mãe produz proteínas e as células de defesa no leite. Como ficar sem esse alimento fonte de vida e proteção? <3

5. Desenvolve o sistema nervoso

E quando dizemos que o leite materno é completo, a composição não para de surpreender. Ele é rico em DHA, uma gordura boa que faz parte da formação dos neurônios, atua diretamente na memória, no aprendizado e na atenção. O DHA é um dos componentes presentes no ômega-3, importante para prevenir problemas como Alzheimer, demência e TDAH. Muito amor pelo seu leitinho :)

Conheça um relato real e sincero de uma mãe que não desistiu de amamentar a sua filha

Helena Margarido, bióloga de 30 anos, é mãe da Isabela, de 2 meses. Ela procurou nossa equipe médica devido a dificuldades na amamentação. Como a maioria das mulheres, ela se preocupava tanto com o parto, que achou que o puerpério – os primeiros meses do pós-parto – seria mais tranquilo. Entretanto, ainda assim, buscou informações para se preparar melhor para o momento, sempre contando com o apoio do marido e da mãe. Ao primeiro sinal de desconforto, acreditou na telemedicina, especialmente devido à pandemia, e recebeu suporte ágil, sem precisar sair de casa.

7 principais doenças diagnosticadas por médicos online

“Tive uma gestação tranquila e me preparei bem para o parto e amamentação. Todos me falavam para eu me preocupar com o pós-parto e fui atrás de informações. Fiz curso online de amamentação e estava me sentindo craque, porém nada da teoria adiantou quando a prática chegou. Logo na primeira semana amamentando, meus dois seios estavam fissurados. Eu não sabia lidar, fiquei emocionalmente instável e preocupada com o ganho de peso da Isabela.

Na semana seguinte, ainda com os seios rachados, tive mastite e iniciei 10 dias de antibiótico, sob orientação da médica online, que me atendeu rapidamente, me medicou, me tranquilizou e me orientou. Dessa forma, também fiquei segura por não precisar sair de casa, por conta do receio de contrair o Coronavírus. Utilizei laser para as rachaduras e acordava de madrugada, enquanto ela dormia, para ordenhar e não deixar empedrar.

Parecia tudo controlado, quando surgiu a segunda mastite e candidíase mamária que, consequentemente, passou sapinho para a minha bebê. Nesse momento, a médica do plantão online me orientou a agendar uma consulta presencial de urgência. Eu já estava, nesse ponto, pensando em desistir e partir para a fórmula e mamadeira, mas quando pensava na troca de olhares, no carinho, e no quanto minha filha estava saudável, eu persisti.

Hoje estamos curadas, o seio já não doi mais e a amamentação está confortável e agradável. Ainda acordo de madrugada para ordenhar e o cuidado para não ter mais mastite continua, porém a alegria e o prazer dos nossos momentos durante a amamentação não tem preço.

Por fim, tudo se resolveu tão bem, que agora vou doar leite para o banco de leite da minha cidade, Campinas, podendo ajudar a nutrir outros bebês.  O começo é intenso, pode ser muito doloroso, mas passa e hoje o prazer da amamentação é presente”, conta a mamãe da Isabela.

Está com alguma dificuldade para amamentar? Nossa equipe médica de ginecologistas e pediatras estão à disposição para cuidar de você e de seu filho de forma personalizada e te ajudar, seja onde você estiver. Acesse já o nosso site, faça seu cadastro, agende sua consulta e entenda como a teleconsulta pode contribuir com a sua saúde e de seu bebê.

*Salientamos que, caso o médico avalie que é o momento de você parar de amamentar, iremos fornecer todo o apoio possível, com possibilidade de suporte psicológico em nossa plataforma de psicologia online. Conte conosco!

Brasil Telemedicina

Autor Brasil Telemedicina

Mais artigos por Brasil Telemedicina

Deixe uma resposta















 
close-link