Apesar do aumento da queixa de lombalgia durante a pandemia, confira por que, muitas vezes, a dor nas costas não se trata apenas de problemas na coluna.

Como consequência das medidas preventivas de isolamento social, que foram iniciadas no primeiro trimestre de 2020, uma reação que é considerada comum às pessoas, especialmente para quem está trabalhando no esquema de home office, é a queixa de dor nas costas. Não é a toa que o termo obteve um alto crescimento nas buscas do Google. Dados do Google Trends apontam que, desde 26 de fevereiro de 2020, a busca por “dor nas costas” aumentou em 76%, e seu pico ocorreu dois meses depois, em 26 de abril. Os estados que mais realizaram pesquisas sobre o assunto são o Ceará, Alagoas, Maranhão, Rio de Janeiro e São Paulo.

Estudos realizados pelo Hospital das Clínicas de São Paulo apontam que a dor nas costas trata-se de uma condição frequente, sendo uma das principais causas de licenças médicas no trabalho, com 4 a cada 10 pessoas apresentando dores nas costas no país.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já são mais de 16% dos brasileiros que possuem dor nas costas como problema de saúde. Com o necessário distanciamento social e a permanência em casa, algumas práticas precisam ser adotadas pelas pessoas para diminuir os riscos de uma postura inadequada, principalmente em se tratando de quem está adotando o trabalho remoto.

Mesmo antes da pandemia, no final de 2019, uma pesquisa divulgada pelo periódico The Lancet levantou que a dor na lombar é a maior causa de incapacidade no mundo. De acordo com a publicação, quase todas as pessoas vai ter dor lombar em algum momento de sua vida e ela pode afetar qualquer indivíduo, independente da idade. O estudo, que reuniu 33 autores internacionais, levantou que o número de pessoas com a doença aumentou em 54% desde 1990.

A lombalgia, conhecida também como dor lombar, dor nas costas ou dor na coluna, é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o principal problema de saúde funcional nos países ocidentais. Estima-se que de 15% a 20% dos adultos têm dores nas costas durante um único ano e 50% a 80% experimentou pelo menos um episódio de dor nas costas durante toda a vida. A lombalgia é uma das principais causas da deficiência na população ativa adulta e uma das principais causas de faltas ao trabalho, elevando o índice de absenteísmos.

No Brasil, a lombalgia atinge 13% da população, segundo o PNAD (Programa Nacional de Amostra por Domicílios), sendo que a dor na lombar é a segunda condição de saúde mais recorrente no país, ficando atrás apenas de hipertensão arterial.

A dor lombar é uma condição complexa que possui inúmeros contribuintes, como fatores psicológicos, sociais, biofísicos e comorbidades. Fatores de estilo de vida, tais como o tabagismo, a obesidade, e os baixos níveis de atividade física, também estão associados com a ocorrência de episódios de dor lombar, além de causas genéticas.

Entretanto, apesar dos problemas na coluna serem os principais agravantes para a condição, eles não são a única causa para o sintoma de dor nas costas. Confira as principais causas responsáveis por esse temível incômodo.

Leia também: Está sem plano de saúde? Realize uma consulta médica online

Médicos plantonistas na palma da sua mão

Quero consultar agora

Médicos plantonistas na palma da sua mão

1. Hérnia de disco

Dor nas costas, dificuldade para pegar objetos mais pesados ou no chão, para locomover-se, para encontrar uma posição para dormir, para dirigir e até mesmo para trabalhar. Esses são alguns dos principais sintomas e consequências da hérnia de disco, doença que, segundo o IBGE, atinge cerca de 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste dos discos intravertebrais que, na prática, funcionam como amortecedores naturais do impacto entre as vértebras.

A hérnia de disco é classificada de acordo com a região da coluna que ela afeta e, por isso, ela pode ser:

  • Hérnia de disco cervical: afeta a região do pescoço;
  • Hérnia de disco torácica: afeta a região do meio das costas;
  • Hérnia de disco lombar: afeta a região mais baixa das costas.

O disco vertebral é uma estrutura de fibrocartilagem que serve para evitar o contato direto entre uma vértebra e outra, e amortecer o impacto gerado por movimentos bruscos e saltos, por exemplo. Assim, uma lesão discal, ou discopatia, prejudica a função do próprio disco vertebral e ainda pressiona outras estruturas importantes da coluna, como a raiz nervosa ou a medula espinhal.

2. Contratura muscular

A contratura muscular ocorre devido a uma rigidez ou contração muscular exagerada, que faz com que o músculo não consiga relaxar. As contraturas podem acontecer em diversas partes do corpo, como pescoço, lombar, cervical ou coxa, por exemplo, e podem ocorrer depois de praticar um exercício muito forte, por fazer algum movimento brusco, por uma noite mal dormida ou por excesso de tensão no corpo causada por estresse.

A contratura causa dor, desconforto e muitas vezes limita os movimentos, podendo ser, em muitos casos, facilmente sentida quando se coloca a mão sobre o músculo e nota-se uma parte mais dolorida e rígida.

Geralmente, algumas medidas simples podem ser feitas em casa para melhorar a dor e o desconforto, tais como aplicar bolsas de água quente ou fazer massagem no músculo afetado. No entanto, se a dor não melhorar, deve-se procurar ajuda médica e iniciar o tratamento mais adequado.

Leia também: Fibromialgia, uma doença dolorosa e de difícil diagnóstico

3. Escoliose

A escoliose, ou “coluna torta”, é um desvio que faz com que a coluna passe a ter a forma de C ou S. Essa alteração, na maioria das vezes, não tem causa conhecida, mas em diversos casos, pode estar relacionada com a falta de atividade física, má postura ou com o fato do paciente ficar muito tempo sentado ou deitado com a coluna torta.

Devido ao desvio, é comum a pessoa desenvolver alguns sinais e sintomas, como uma perna mais curta que a outra, braços com alturas diferentes quando levantados, dor muscular e sensação de fadiga nas costas.

É importante que a escoliose seja identificada e tratada de acordo com a orientação do ortopedista para evitar o desenvolvimento de sintomas ou complicações, podendo ser indicada a realização de fisioterapia, uso de coletes ou cirurgia, nos casos mais graves.

4. Dor ciática

A dor ciática (ciatalgia) é considerada mais um sintoma do que exatamente uma doença. Ela é provocada pela compressão, inflamação ou irritação de uma ou mais raízes nervosas que nascem na medula espinhal e vão formar o nervo ciático, que começa na quarta e quinta vértebra da coluna lombar.

O ciático é o maior nervo do corpo humano. Estende-se pela face posterior do quadril, desce por trás da coxa e do joelho de cada perna até alcançar o dedo maior do pé. O dano ao ciático pode ocorrer dentro do canal espinhal, no forame intervertebral (espaço entre as vértebras por onde passa a medula espinhal) ou em algum outro ponto de seu percurso, uma vez que atravessa vários músculos, fascias (membranas de tecido fibroso que protegem os órgãos) e tendões.

A dor no ciático acomete indistintamente homens e mulheres e sua frequência aumenta com o envelhecimento, já que, com o passar dos anos, as estruturas da coluna vertebral acabam sofrendo um desgaste que pode comprometer tanto a medula espinhal, quanto as raízes que dão origem aos nervos.

5. Doenças respiratórias e Covid-19

As doenças respiratórias também podem causar dor nas costas, principalmente ao respirar, já que no processo respiratório há mobilização de todos os músculos do abdômen e das costas. A dor nas costas ao respirar geralmente está relacionada com algum problema que afeta os pulmões ou o revestimento desse órgão, conhecido como pleura. Os casos mais comuns são os de gripe e resfriado, mas a dor também pode surgir em alterações pulmonares mais graves, como pneumonia ou embolia pulmonar.

Pode-se desenvolver dor de costas ou pneumonia após infecção pelo Covid-19, uma vez que o SARS-CoV-2 é um vírus que ataca o nosso sistema imunológico. Mesmo após a cura, a pessoa que passou por um grave problema respiratório pode ter dores tanto no pescoço, como nas costas, nos ombros e na lombar, podendo gerar desconforto e desequilíbrio. Nesse caso, o acompanhamento médico imediato é fundamental.

Leia também: Atenção – Falta de ar não é apenas Coronavírus!

6. Pedra nos rins

A presença de pedra nos rins, situação também conhecida como cálculo renal, também pode causar dor nas costas. A dor devido à presença das pedras é conhecida como cólica renal e é caracterizada por ser uma dor muito forte no fundo das costas que impede a pessoa de caminhar ou se mexer.

A dor nos rins ou nas costas pode ser identificada observando-se alguns critérios que ajudam a saber a origem do problema. Geralmente, a dor nos rins ocorre abaixo da caixa torácica em um ou em ambos os lados da coluna, na região próxima à virilha e no fundo das costas. Por outro lado, a dor nas costas pode aparecer em qualquer parte das costas, principalmente na região lombar.

A dor que tem origem nos rins é mais aguda, forte, constante e aparece repentinamente, principalmente quando se trata de pedra nos rins. Já a dor nas costas pode variar de leve a grave e é caracterizada por pontadas, sensação de queimação ou perfuração.

A dor nos rins pode ser acompanhada de:

  • Dor ao urinar
  • Micção frequente
  • Febre
  • Náuseas ou vômitos
  • Urina amarelada, vermelha ou marrom
  • Urina com sangue
  • Urina com cheiro forte

Leia também: Doenças renais atingem 10% doas brasileiros

7. Infarto

Um dos sinais indicativos de infarto é a dor nas costas com aperto no peito e que piora com esforços, além de poder haver sensação de mal estar ou enjoo, principalmente se a pessoa estiver acima do peso, for hipertensa ou tiver com o colesterol alto.

Os principais sintomas que indicam este problema incluem:

  1. Dor no lado esquerdo do peito, em forma de aperto, pontada ou peso, que pode irradiar para o pescoço, axila, costas, braço esquerdo ou até mesmo, braço direito;
  2. Dormência ou formigamento no braço esquerdo;
  3. Dor de estômago, sem relação com alimentos;
  4. Dor nas costas;
  5. Mal estar;
  6. Enjoos e tonturas;
  7. Palidez e suor frio;
  8. Dificuldade para respirar ou respiração rápida;
  9. Tosse seca;
  10. Dificuldade para dormir.

Caso sinta esses sintomas, procure pela emergência imediatamente!

Leia também: Saiba quando você deve procurar um cardiologista online

8. Gravidez

É comum também que exista dor nas costas na gravidez, principalmente nos últimos meses de gestação, devido à sobrecarga da coluna e ao aumento da progesterona e de relaxina na corrente sanguínea, que faz com que os ligamentos da coluna e do sacro fiquem mais frouxos, o que promove a dor.

A presença de dor nas costas antes de engravidar também aumenta as chances da mulher sofrer com este sintoma durante a gestação, logo no 1º trimestre, e em algumas mulheres a dor aumenta gradativamente com o avanço da gestação.

Confira dicas para evitar a dor nas costas durante a gravidez:

  • Não engordarmais que 10 kg durante toda gestação;
  • Fazer exercícios de alongamentospara as pernas e para as costas todos os dias de manhã e à noite.
  • Manter sempre as costas eretas, sentada e quando caminha.
  • Evitar levantar pesos, mas caso tenha que o fazer, segurar o objeto próximo do corpo, dobrando os joelhos e mantendo as costas eretas;
  • Evitar usar salto alto e sandálias rasteirinhas, preferindo sapatos com 3 cm de altura, confortáveis e firmes.

Outros fatores que poderão contribuir para o aumento da dor de costas durante a pandemia são o sedentarismo associado ao confinamento, o aumento de peso, o estresse e ansiedade, que também desregulam o sistema imunológico, assim como a falta de acesso do doente ao seu médico e a centros de saúde.

Leia também: Quando a pandemia da obesidade e do Coronavírus se encontram

Realize uma teleconsulta logo que sentir o sintoma

É aconselhado procurar apoio médico quando a dor nas costas é muito forte, surge de forma repentina ou é acompanhada de outros sintomas, como enjoos, falta de ar e os demais itens citados acima. Assim, o médico pode solicitar exames para que seja identificada a causa e para iniciar o tratamento mais adequado.

Durante a consulta, diga ao médico as características da sua dor, quando ela surgiu, se dói o tempo todo ou só quando faz determinado movimento, e também relate o que você já fez para tentar aliviar a dor. Também é importante informar ao médico se é sedentário e qual é o seu trabalho.

Em nossa plataforma de atendimento médico online, a equipe médica de plantão está disponível 24 horas, para te acolher logo que tiver o primeiro sinal de queixa, desse e outros problemas de saúde. Conte conosco para cuidar de você imediatamente: acesse aqui o nosso site, faça o seu cadastro e realize a sua teleconsulta.  Queremos cuidar de você e sua família, de onde vocês estiverem!

Fonte:
https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2020/05/12/interna_ciencia_saude,853937/expressao-dor-nas-costas-bate-recorde-de-buscas-no-google.shtml
https://www.doutorhernia.com.br/noticia/dor-nas-costas-e-sintoma-de-covid-19
https://www.danonenutricia.com.br/infantil/gravidez/saude/por-que-gravidez-causa-tanta-dor-nas-costas
https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/08/09/nao-e-so-dor-no-peito-conheca-5-sinais-nao-tao-conhecidos-de-infarto.htm
https://www.scielo.br/pdf/coluna/v10n4/v10n4a06.pdf
https://www.minhavida.com.br/fitness/tudo-sobre/32714-contratura-muscular
http://www.santalucia.com.br/noticias/hernia-de-disco-atinge-54-milhoes-de-brasileiros-segundo-o-ibge/
https://tribunademinas.com.br/especiais/blogs/alice-amaral/20-08-2019/dor-na-lombar-e-a-maior-causa-de-incapacidade-do-mundo.html

Quer realizar uma consulta online com um médico?

  • Prescrição digital e pedidos de exames
  • 100% online e com preços acessíveis

Deixe uma resposta